Ser Mãe sem Ser Mãe Mãe Terra

Há momentos em que te sentes mãe sem ser mãe. Momentos em que cuidas das pessoas que tu gostas. Momentos em que te sentes desorientada no teu próprio Mundo mas que, ainda assim, tens que ser Mãe! E tens que estar lá para o que der e vier. Podes mostrar a tua sensibilidade e os teus medos? Podes, porém está lá! Sê inteiro!

E tens que ter tempo. Tens que ter tempo para ti; tens que ter tempo para o outro. Tu consegues! Basta quereres e confiares. Estende a tua mão amiga e acarinha; oferece o conforto do teu abraço a quem dele está necessitado; partilha um dos teus incansáveis sorrisos e ama-te… ama-os!

Se há flores que encantam o nosso olhar, tu podes aprender a ser flor. Podes aprender a encantar e a levar uma brisa de cheiros e cores à vida daqueles que gostas. Olha à tua volta. O que vês? O que escutas? Vês as pessoas a correrem durante uma vida inteira? Vês caminhos que não sentes serem os mais corretos para os teus filhos? Consegues-te ver? Vê-te para veres os outros; vê-te, para veres quem amas.

Se tiveres que ser mãe sem seres mãe, sê. E pensa nas dádivas que podes receber e partilhar. Porque ser mãe sem ser mãe também exige amor e paciência; ser mãe sem ser mãe também exige entrega e dúvidas; sem mãe sem ser mãe também pede que estejas presente. Mas sê. E sê-o de coração aberto e limpo. Respira esse teu ser e aceita-o tal como é. Respira esse teu ser e entrega-te aos que amas sendo mãe sem o ser.

 

Foto de Chanel Baran

 


Sou a Liliana, mas todos me conhecem por Lili. Sou dança, sou Sol, sou música... sou riso, sou lágrimas, estações... sou o dia, sou a noite... sou um eclipse de sentimentos e sensações. Filha da Terra, Mãe d'Água de Coração! ☼