[Relato de parto #14] Maria Melvill de Araújo Relatos

~ Foi perfeito ~

A gravidez não foi planeada, mas a partir do momento que soube que estava grávida, havia uma coisa clara para mim: o parto tem que ser na água!

Tive uma gravidez calma e serena, pratiquei yoga até ao fim, ia nadar quando podia, fiz caminhadas, fiz as aulas de preparação para o parto aquático com as Sras. Enfermeiras Cristina, Rute, Joana e Madalena (equipa fantástica), e li muito sobre o assunto. Vivendo numa ilha, este serviço só está disponível a nível privado, mas eu e o meu marido falámos sobre o assunto, e a decisão estava tomada. Afinal não é todos os dias que se traz um filho ao mundo e se é para trazer que seja como queremos, (ou pelo menos tentando).

Comecei com ligeiras dores durante a tarde e fui deixando andar. À noite jantei e tentei dormir, mas deitada as dores eram muito piores. Foi quando chamei a Enf. Cristina, já a meio da noite. Ela veio e confirmou que estava em trabalho de parto activo.

image

 

Fiz o trabalho de parto todo em casa, na sala. A Enf. pôs música, dancei agarrada ao meu marido, tomei um duche quente, balancei muito a cintura. Era como se estivesse a indicar ao meu bebé que por ali era o caminho. Gemi muito, não gritei, fazia uns gemidos esquisitos (olhando para trás dá-me vontade de rir). De repente, levanto-me a correr e fui vomitar. Estranhei o porquê do vomitar, mas a Enf. tranquilizou-me e disse que pode acontecer. Chegamos a tomar chá e bolachas – precisava de energia. Pode não parecer, mas é um desgaste imenso.

Já quase ao nascer do dia, decidimos ir para a Clínica de Santa Catarina. Encheram a piscina enquanto fazia o CTG. Estava tudo bem. As contracções sempre mais fortes, mas quando entrei na água… pufff… por uns segundos tudo parou, foi uma sensação maravilhosa. Claro que as contracções não desaparecem, mas ficam atenuadas e a liberdade do corpo? Ai… a liberdade de poder mover o meu corpo como ele me pede… É uma coisa fantástica! Estive de gatas, estive de joelhos, estive a boiar, sei lá, fui-me mexendo como tinha vontade. O meu marido dentro de água, sempre atento, com as suas mãos nas minhas, que me mostravam a força da sua presença.

 

image

 

Ficámos sozinhos no quarto por um pouco, saíram todos. Aquele era um momento nosso. Quando voltaram ao quarto a Enf. pediu-me para ver onde estava a cabeça do bebé. No período expulsivo eu é que controlei a saída, ia vendo à medida que descia. Era o MEU parto. Ia falando interiormente com o bebé, falando comigo mesma. Tinha que estar focada. Chegou ao ponto em que fiz mais força e aiiiiiii… gritei para a Enf. “Tenho a cabeça nas mãos, o que faço?”. Parece ridículo, aliás, elas começaram a rir, mas foi o que aconteceu. Aí foi o único momento em que a Enf. pôs as mãos dentro da piscina para ajudar, para quando viesse a próxima contracção e viesse o corpinho cá para fora. Aqueles olhos abertos já debaixo de água foi um momento inesquecível. Ficou colado ao meu corpo enquanto o cordão parava de pulsar, sem pressas. Tudo a seu tempo.

 

image

 

Por uns segundos ninguém se lembrou de ver se era menino ou menina tal era a emoção. Foi menino e nasceu da melhor maneira possível. Nunca tive medo do parto, sempre foi encarado com naturalidade e como um momento bonito no culminar da gravidez. Foi por isso que foi perfeito. Que sejas feliz Sher Inder Singh! Wahe Guru!

Obrigado às Parteiras Cristina Valentim, Rute Ferreira e Dr. Carlos Exposto. A vossa presença silenciosa, mas forte e segura foi preciosa. Obrigado aos meus pais por estarem presentes num momento único das nossas vidas e um gigante obrigado ao meu marido por acreditar em mim e estar comigo até ao fim.

~ Maria Melvill de Araújo

“No momento em que uma criança nasce, a mãe também nasce.
Ela nunca existiu antes.
A mulher existia, mas a mãe nunca.
Uma mãe é algo absolutamente novo.”
~ Osho

 


Um coletivo de mães que fomentam o Parto na Água em Portugal.

  • Carmo Melvill de Araújo

    Quase desde logo, soubemos que o parto seria na água!
    Tanto quanto me apercebi, ninguém da nossa família questionou se seria o melhor para ti e para bebé (não tem artigo de propósito, pois desconhecíamos se seria menino ou menina).
    Aceitámos com naturalidade a vossa decisão!
    E esperámos, vendo a barriguinha crescendo e a tua cara de felicidade.
    No dia 7 de Agosto de 2014, logo de manhã, recebemos este sms do teu Pai:”As 8:45 nasceu o Ludovico. Já estão no clube dos tios-avós. Parto na agua, Clínica St Catarina. Abreijos”.
    Foi uma alegria! A Avó ficou encantada! Já era Bisavó!
    À tarde toda a Família foi lá, ver-te, ao Ludovico e ao Maurizio!
    Apresentaste o Ludovico a cada um que chegava! Como? Pondo-o nos nossos braços!
    Foi um encanto!
    E a primeira fotografia do Ludovico tem lugar de honra na sala e no gabinete, de cá de casa.
    O primeiro bisneto! O primeiro sobrinho-neto!
    O nosso Princepezinho!
    Obrigada, Maria, pelo teu relato!
    Beijinhos
    Baga

    • <3 que linda partilha, Carmo. Muito, muito gratas pelo Amor <3
      carinho das Maes d' Agua

  • Paulo Farinha

    Parabéns e felicidades.