~ MaesDagua Censuradas Especiais / Mães D'Água

Uma carta nossa, para o facebook

Querido Facebook…

A nossa página, Mães d’ Água, teve uma publicação censurada no facebook (uma fotografia de parto na água), e todas as colaboradoras foram bloqueadas temporariamente, sendo a criadora da página impedida de usar o facebook durante três dias.

Esta não foi a primeira vez, mas para que seja a última, gostaríamos de esclarecer o nosso ponto de vista.

O momento do parto é um momento poderoso, de transformação, de superação mesmo! Referido na grande maioria das vezes como o momento mais importante na vida de uma mulher.
Que mensagem estamos a disseminar quando catalogamos imagens desse momento como “impróprias”, “chocantes”, ou “demasiado explícitas”… quando as censuramos!?

Basta visitar páginas que promovem o parto natural, de Doulas, de parteiras ou de activistas pelos direitos no parto (como nós), para ver como as mães que partilham as suas imagens de parto o fazem para que possam inspirar outras mulheres!

As imagens de parto são com frequência surpreendentes, até para a mãe!, e sempre desarmantes! A mulher aparece de modo natural, cru, quase animal, e na verdade ela está num espaço de consciência alterado e fisicamente num processo limite, a fazer algo que nunca fez, sentindo o que nunca antes sentiu. Pode ser impactante? Sim.
Pode ser atraente, belo, emotivo? Sim.
Pode ser considerado pornográfico? Não.

Simples assim – não, o parto, não importa quanta nudez implica, não é pornografia.

Parir é natural, parir é poderoso, é belo, é empoderador! Uma imagem de parto contém nudez (dá para parir vestida?!) mas a quem vir nela pornografia, violência, incómodo, sugerimos que olhe de novo, com um novo olhar…
Consegues?
Consegues Ver, a Mulher, e o Milagre do Corpo Humano?

O corpo da mulher não é um mero objeto sexual, é um milagre de vida. E sim, para surpresa de muitos, os bebés nascem, naturalmente, pela vagina.

Porque partilhamos imagens de parto (e continuaremos a partilhar!)?
Porque para que o parto natural seja defendido, promovido, desejado, respeitado, normalizado, é urgente mudar a imagem que temos do parto! Estamos aqui para ajudar verdadeiramente nesse trabalho!

Conhecemos as políticas da plataforma, mas da mesma forma que os menus e as funcionalidades estão sempre em constante atualização e desenvolvimento, também neste campo têm de haver desenvolvimentos, avanços, evolução, como as mudanças na política do fb em relação às fotografias de amamentação que já houve (resultado da campanha #freeTheNiple). Em relação ao parto também já foram feitas campanhas! (ver ashtag #LiberdadeAoNascimento e #ParirNãoéPornô criados pela activista brasileira Tássia Botelho).

Nós, Mães d’ Água, estamos aqui também para criar consciência e assumir o nosso papel pleno como agentes de mudança.

A verdade é que não dá para parir vestida!
Vamos criar uma nova campanha e divulgar #nãodáparaparirvestida?

Vamos ajudar a mudar também a visão das pessoas em relação ao parto? Podemos criar #parirÉSuperação #vamosMudarAimagemQueTodosNosTemosDoParto #partilharEmpoderar, o que quisermos!

Vamos seguir tantas mães, Doulas, fotógrafas e activistas pelos direitos da mulher e trabalhar para libertar as imagens de nascimento e parto?

Isto não é um assunto privado, que pertence às famílias; nem um assunto legal, uma questão de “política do fb”… é muito mais do que isso, implica muito mais…

Quando censura uma imagem de parto o fb está a censurar uma imagem de uma mulher em todo o seu poder! Nós acreditamos nisso! E não estamos sozinhas!

“As redes sociais refletem o nosso problema cultural, não com a imagem da mulher nua, mas com imagem de mulheres que estão nuas mas que são mulheres reais e activas, e não aprumadas e passivas.”
“Estas censuras refletem os milênios passados a tentar diminuir o poder da Mulher, do qual o parto é talvez a sua expressão mais forte.”
“As imagens são banidas porque não refletem a imagem estereotipada que temos do nascimento.”
“Imagens de mulheres nuas, ou em vestidos transparentes estão de acordo com a expectativa cultural de como a mulher deve ser – jovem, limpa, passiva, depilada, submissa. As imagens de parto não. Elas mostram mulheres cruas e isso é intimidante. Pensamos que a revolução sexual já aconteceu e não precisamos de feminismo, mas precisamos.”
~ Morag Hastings, Doula e fotógrafa de parto, Apple Blossom Families, Canadá

image

” (ter imagens apagadas ou conta desactivada) é como ser castigada por celebrar o milagre da vida.”
~ Melissa Jean, Austrália

image

“Quero que as mulheres grávidas que encontram as minhas imagens pensem: Ah, espera. Isto não é o parto que vejo normalmente. Talvez não precise de ter medo. Talvez eu possa fazer as coisas de maneira diferente. Talvez haja uma maneira melhor.”
“A minha fotografia está a dizer que o parto importa. Que é belo. Que, se permitires, pode ser uma experiência transformadora, cheia de potencial.”
~ Angela Gallo ~ mãe doula, fotógrafa de parto, Austrália

Esta é a visão de fotógrafas de parto, que vêem muitas vezes o seu trabalho ser comprometido – uma questão profissional, mas… e as mães…? O que leva as mães a quererem partilhar as suas imagens de parto numa rede social?

image

“Parir foi simplesmente a coisa mais transformadora da minha vida.”
“É o meu coração que me leva a partilhar as imagens de parto porque acredito no empoderamento que senti com o meu parto, e sei que posso ajudar a Empoderar outras mulheres.”
“Se a imagem levar alguém a pensar que afinal o que pensava ser impossível de fazer é possível, já vale a pena.”
~ Francie, (TheMilkinMama)

Várias vezes mulheres como ela viram as suas imagens de parto retiradas do fb (sendo privadas de usar esta plataforma, como nós fomos)…

“Vejo a censura como fruto da nossa própria sociedade, que tende a colocar empecilhos a tudo que é natural, criando tabus em relação à feminilidade. O ciclo feminino acabou se tornando centro de polêmica: é feio, nojento, deve ser guardado a sete chaves.”
~ Tainã Soares, estudante de Ciências Sociais da Universidade Federal de Pelotas

“É um absurdo removerem fotos de partos enquanto imagens e vídeos de mulheres semi-nuas correm pelo Facebook. Eles vão ter que se acostumar. Vamos continuar postando fotos desse momento maravilhoso até conseguirmos que sejam respeitadas.”
~ Tainara Andrade, Doula e ativista brasileira

“A mulher pode estar pelada, em poses insinuantes, desde que sejam poses interessantes ao homem. Se o seio é para o bebé e a vagina é para o uso da própria mulher, a situação se torna “nojenta”.”
~ Conceição Gama, psicóloga

“Até concordo com a nudez, é impossível parir de roupas, mas nunca será pornografia.”
~ Amanda, mãe de Isis

O parto é veículo de cura, e toda a gravidez é um milagre, sem dúvida. São nove meses de desafios e superações.
Mães que superaram medos seus, inseguranças, receios, traumas sexuais… mães que conseguem vencer o sistema de parto vigente (como todas as vitórias, que celebrarmos juntas!, de parto natural no “Brasil, país da cesárea”), mães que vivem o trauma de um primeiro parto de violência obstetrícia, outras que conseguem um parto natural depois de uma cesariana, famílias que ultrapassam dificuldades económicas para conseguir um parto domiciliar… São ultrapassados preconceitos culturais, perdas gestacionais, casos de infertilidade… Sim, parto é veículo de cura, e todo o processo de cura se torna mais intenso e poderoso quando ele é partilhado com o Outro, com a comunidade.

Nós estamos aqui, desejosas do dia em que o fb vai perceber que…

“As mulheres são mais do que objectos sexuais,
somos criaturas incríveis que criam vida.”
~ Morag Hastings

Com muito carinho nosso,
~ Mães D’ Água

Para te juntares a nossa campanha basta partilhares no facebook uma foto de parto com o hashtag#naoDaParaParirVestida

(Fontes: Daily Mail, Mashable, Huffpost, Zero Hora, e tu… Facebook.com)


Um coletivo de mães que fomentam o Parto na Água em Portugal.