Nova coluna ~ Ser Mãe sem o Ser Ser Mãe sem o Ser

Hoje (e sempre) escrevo-vos sobre o Amor.

O amor que nasce aqui, no meu peito.
O Amor que brota do Universo e que deixo fluir.

Provavelmente tu ainda não me conheces. O meu nome é Liliana. Tenho 31 anos e não sou mãe.
Sim, tens razão, não sou mãe, mas faço parte do coletivo “Mães d’Água”!

Como é possível?
O que terei eu para partilhar?
Como poderei eu colaborar no projeto, se não sou mãe? Se nunca vivenciei a experiência?

Muitas vezes me questionei sobre isso.
Muitas vezes olhei para mim, sem acreditar que seria capaz de ajudar a mudar algo. Eu própria disse para mim, lá no fundo, que não era capaz (quando digo isto, refiro-me a tantas outras coisas…)

Mas sabes?
Fui capaz!
Sou capaz! E sabes porquê? Por causa deste Amor que nasce aqui, no meu peito. Por causa deste Amor que brota do Universo e que deixo fluir!

Aprendi a olhar para mim e a reconhecer quem sou e o que sei fazer. Aprendi a usar essas “ferramentas” para ajudar quem me rodeia.

Adoro escrever! Consigo comunicar bem através das palavras. Porque não usar a escrita como minha aliada? Porque não usar as palavras que o Universo leva até à minha mente e registá-las num papel?

Porque não?

Tenho usado a escrita como forma de me expressar e de passar mensagens e aprendizagens, em várias áreas da minha vida. Se essas partilhas tocarem no coração de alguém, para mim significa que o “trabalho” está a ser feito.

Sinto uma gratidão enorme por estar aqui convosco, Tribo Mães d’Água!

Somos pequenos colibris: cada uma a fazer a sua parte para que as Mulheres tenham acesso à informação e para que tenham a oportunidade de escolher o parto humanizado – se for esse o seu desejo – em segurança e com respeito pela sua decisão!

Um até já!
Com Amor, Lili ☼

(imagem de Camilla Albano)


Sou a Liliana, mas todos me conhecem por Lili. Sou dança, sou Sol, sou música... sou riso, sou lágrimas, estações... sou o dia, sou a noite... sou um eclipse de sentimentos e sensações. Filha da Terra, Mãe d'Água de Coração! ☼