Férias com crianças Autores convidados

O tempo de férias dos miúdos é sempre um desafio. O que fazer, como organizar, onde e com quem, e muitas outras questões surgem nesta altura. As férias são longas e nem sempre há disponibilidade para ficar com eles, mas é também uma boa desculpa para sermos criativos.

Com 6 filhos e com a vantagem de trabalhar a partir de casa, consigo conciliar algum trabalho e as actividades de ócio com os miúdos.

Desde o dia 23 de Junho que tenho todos ou alguns por casa.

O Zé com 35 meses esteve na creche até à segunda semana de Julho, enquanto que a Teresa, o João e a Julieta, que estão no 1º ciclo, quiseram este ano fazer 2 semanas nos tempos livres da Câmara Municipal. Por casa ficou o Tiago, com quase 13 anos, e a Rosita de 11 meses.

A partir de 15 de Julho, iniciamos oficialmente as férias cá de casa.

Não costumo planear grandes actividades, vou vendo o que aparece e o que nos apetece.

Consulto  todas as agendas culturais aqui da zona. Há muita oferta, desde que saibamos aproveitar as oportunidades e não estar presos a expectativas ou outras condicionantes. As actividades gratuitas são as que tento não perder, porque com 6 filhos essa é uma questão a ter em conta.

Este ano já fizeram workshops de cozinha, atelier de pintura a óleo, já visitaram as escavações de um sítio arqueológico e ainda muito vão fazer.

 

Têm também uma viagem de 1 dia para programar. Alguns ainda não andaram de comboio, por isso vão poder escolher a vila que querem visitar, fazer o orçamento dos custos, os horários e assim será mais um dia de férias passado em família numa actividade relativamente em conta.

Nestes dias de férias não temos grandes rotinas, mas normalmente optamos por fazer praia de manhã e outras actividades de tarde/noite.

De manhã vamos para a praia, cedo. Antes das 9h bebo um café (para me aguentar) e às 9h já estamos com o pé na areia.

Correm, brincam, mergulham e lancham. Estão livres e eu apesar de estar sempre a contar cabeças, consigo relaxar. É mais fácil do que parece.

Vou sozinha. O pai cá de casa tem que dormir pois trabalha até tarde, e por isso tenho algumas técnicas para facilitar a tarefa. Uso um carrinho daqueles das compras com rodinhas para as toalhas, protector solar, fraldas e lanche. Um deles carrega o chapéu de sol, outro o saco dos brinquedos. Eu levo a Rosita no sling (fundamental) e dou a mão ao Zé. Na praia fazemos um monte com os chinelos todos, as toalhas saem todas do saco e dão lugar à roupa de todos, o chapéu de sol é a base das operações. Assim evito as perdas de chinelos, roupa a voar e lanche ao sol.

As manhãs de vento são aproveitadas para ir à biblioteca municipal. Enquanto os 4 mais velhos lêem livros, os 2 mais novos brincam com jogos. Depois requisitam livros e assim têm leitura nova para mais uns dias. Todos gostam de ler e destas idas à biblioteca.

As tardes são de almoços demorados, sem horários, idas às avós, passeios no campo ou na aldeia. As bicicletas estão sempre prontas a sair de casa para umas voltas.

Naqueles dias de muito, muuuuito calor, também aproveito para fazer umas sandes e ir jantar à praia. Chegar à praia ainda com algum sol e depois ficar até apetecer. Sabe muito bem.

Há noites em que aproveito para sair com todos e passear. Sim, porque o que é bom nesta época é não ter horários e saber que podemos estender os serões.

Aproveito as festas das aldeias para passear, as noites de jogos de tabuleiro (gratuitas) num espaço aqui perto, ir a pé ao café comer um gelado, ou então ficar em casa e ver televisão.

Os dias de folga do pai incluem normalmente piquenique no campo, praia com pescaria ou saídas para mais longe de casa.

 

E depois há dias ou horas em que não se faz nada, que são tão importantes e ainda assim tão complicados de gerir.

 

Ocupar os miúdos não tem que passar por horários, campos de férias ou outras actividades muito exigentes ou dispendiosas. Aproveitar uma simples ida à padaria para passear a pé,  fim de tarde no parque, um almoço num parque de merendas, ida a um museu, o bailarico de uma aldeia, uns jogos de tabuleiro, são só alguns exemplos.

Mesmo os pais que estão a trabalhar, se encararem assim com mais leveza, às tantas conseguem fazer mais coisas com os miúdos nesta altura de férias.

 

Aproveitem, e boas férias a todos!

Ana Custódio, Mãe de 6 filhos, bloguer Mãe de Todos, doula e CAM na Amamenta Algarve