Muito disto está esquecido… Estamos aqui para lembrar… Ser Mulher




Uma mulher grávida é um milagre que caminha.

Parir é rito de passagem, hoje esquecido no seu poder, na sua magia, na sua transcendência.

A mulher, ser criador, é no parto veículo de cura, não só para ela, mas para as que vieram antes dela e para as que virão.

O cordão umbilical une muito mais do que uma mãe ao seu filho, une o plano do real com o plano dos mistérios, das esperanças, dos desejos.

O canal de parto é o canal de ligação entre a vida e a morte.

E a água… A água protege tudo, como uma guardiã sagrada…
Protege dos medos, da dor, dos intrusos, das dúvidas, das sombras da mente.
A água é elemento de cura emocional.

E sempre que um parto é roubado, sempre que uma mulher sofre, que um corpo é violado… todas nós sofremos com ela.
Não é apenas uma família que é assim violentada, mas todo o Feminino, tudo o que é a Mulher e o que ela representa, morre assim um pouco.
E todo o ser humano nasce da mulher, todos somos feitos deste sagrado feminino.

Muito disto está esquecido… Estamos aqui para lembrar…

Por isso somos, mães d’Água.

~ imagem de Chanel Baran





Joana é Mãe D' água, já foi actriz e está preparada para ser Deusa. A Joana é mãe, yogui, viajante, escritora, activista pelos direitos da mulher... Uma "inspiradora de mães", como ela gosta de dizer. E porque Sereia não escreve só na areia a Joana é a editora oficial das mães D' água. Doce e salgada, escreve sobre tudo e sobre nada. Sobre amor, sobre magia, sobre viagens interiores e sobre os acordares da maternidade. (terminou colaboração com o blogue em Junho 2017)